Abrir o menú principal

AO PRÍNCIPE D. JOÃO QUANDO LHE MANDOU PEDIR OBRAS SUAS


AO PRÍNCIPE D. JOÃO QUANDO LHE MANDOU PEDIR OBRAS SUAS       Sá de Miranda      
 


AO PRÍNCIPE D. JOÃO QUANDO LHE MANDOU PEDIR OBRAS SUAS

A Príncipe tamanho, cujo rogo
(e mais òs seus) ind’é mais que mandar,
que posso i al fazer, senão passar,
pela água, pelo ferro e pelo fogo?

Se me firo, me queimo, se me afogo,
se dou de mim às gentes que falar,
levemente se pode desprezar
tal dano, - inda mal que não foi logo!

Mas era quase tuto encomendadoà
traça, e não sei quê, com tal presteza,
com que já quase em pó tudo é tornado.

Já’gora, gram Senhor, tudo despreza
quem sai à praça por vosso mandado:
abasta o nome só de Vossa Alteza.